Imagem da bandeira da Costa Rica

Costa Rica

Localizada na América Central, a Costa Rica é líder mundial em proteção ambiental e abriga cerca de 5 milhões de pessoas, 80% das quais vivem em cidades. UrbanShift está engajada na Área Metropolitana de San José (GAM), que inclui a capital.

O projeto UrbanShift na Costa Rica é implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria com a Organização de Estudos Tropicais (OTS), e executado pelo Ministério do Meio Ambiente e Energia (MINAE). 

A Costa Rica é um dos hotspots de biodiversidade do planeta e abriga 4% de todas as espécies conhecidas, entre elas a tartaruga-de-pente em extinção e a grande arara verde.

Devido a fortes políticas ambientais, esta nação centro-americana conseguiu reverter o desmatamento e criar uma matriz energética altamente renovável, mantendo o crescimento econômico estável; a Costa Rica também tem uma das mais baixas taxas de pobreza da região. Vários mecanismos de financiamento progressivo foram pilotados no país para apoiar a conservação da vida selvagem e a proteção das florestas, como o programa de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA), estabelecido nos anos 90. Atualmente, 25% do território da Costa Rica é protegido e 59% de sua área terrestre é coberta por florestas.

Mapa do país da Costa Rica

O DESAFIO  

Nas últimas décadas, a Costa Rica transformou-se de uma sociedade predominantemente rural para uma sociedade urbana; desde o final dos anos 80, a pegada urbana do país expandiu-se em 112%.  

Devido a este rápido crescimento e a uma simultânea falta de planejamento, as áreas urbanas constituem agora a segunda maior ameaça à capital natural da Costa Rica, em contraste direto com os sucessos de conservação em outras partes do país. Diversos desafios ambientais foram identificados na GAM (Área Metropolitana de San José), tais como altas emissões de GEE dos setores de transporte e energia, maior vulnerabilidade a desastres naturais, e manejo deficiente de resíduos sólidos e águas residuais. 

Além disso, a mudança climática é projetada para intensificar desastres naturais como tempestades, enchentes e deslizamentos de terra, impactando ainda mais os serviços e infra-estrutura urbana da GAM.  

SAN JOSÉ  

Aninhada no Vale Central montanhoso, San José é a capital e a maior cidade da Costa Rica. Junto com 31 municípios das províncias vizinhas de Alajuela, Cartago e Heredia, San José faz parte da Grande Área Metropolitana(Gran Area Metropolitana, ou GAM), lar de 53% da população do país. 

Com o passar dos anos, como estes municípios cresceram, ocorreu uma expansão suburbana de baixa densidade, invadindo as paisagens agrícolas e naturais e pressionando o sistema de transporte. Hoje, os custos associados ao congestionamento do tráfego na GAM representam 3,8% do PIB do país.

O transporte no GAM também desempenha um papel importante nas emissões de GEE; mais de 43% das emissões nacionais são geradas por veículos movidos a combustível na metrópole. Metade das emissões do país é proveniente do setor de resíduos e a maior parte das emissões provenientes de processos industriais e do uso de produtos também são originadas no GAM. 

San Jose, no centro da cidade
San José, Costa Rica. Bernal Saborio / Flickr.

INTERVENÇÃO DO URBANSHIFT 

Apoiar a Costa Rica na transição para uma economia verde urbana é uma prioridade chave para UrbanShift. Nosso objetivo é alcançar a descarbonização na GAM através de reformas fiscais e políticas e planejamento urbano sustentável e integrado. Nosso objetivo é alcançar este objetivo através de uma combinação de acordos multisetoriais e interinstitucionais, reformas legislativas, financiamento de modelos de negócios circulares e desenvolvimento de instrumentos de planejamento. 

Exemplos: 

  • Reformas legislativas para reduzir as emissões e a perda da biodiversidade nas paisagens urbanas  
  • Análises econômicas dos modelos de negócios para conseguir a descarbonização dos setores de gestão de resíduos sólidos e esgotos, bem como para promover a mobilidade ativa 
  • Planos participativos para a gestão de espaços urbanos verdes 
  • Restauração de áreas urbanas críticas para proteger populações urbanas vulneráveis, construir resiliência e contribuir para a mitigação da mudança climática 

ORÇAMENTO DO PROJETO 

  • Total GEF Subvenção: $10 milhões
  • Co-financiamento: $92 milhões